24 de nov de 2014

Sobre relações extraconjugais

 
As relações extraconjugais em minha percepção, não tem outra finalidade a não ser a manutenção do matrimônio (doente ou de fachada).
São três pessoas ou mais, que se encontram pela metade, buscando uns nos outros a solução para seus vazios existenciais. De nada contribuem para o crescimento de ninguém, de nada resolvem conflitos.
Servem como paliativos ilusórios para manter relações baseadas em ...
projetos que atendem necessidades sociais e não do SER...
Se desejamos o amor, então que o busquemos dentro de nós mesmos, sendo sinceros e verdadeiramente corajosos ao admitir que o afeto que ainda existe pelo outro mudou e que o mesmo não mais pode vestir a roupagem de cônjuge.
Sejamos francos, felizes e livres para escolher a reedição de nossa trajetória afetiva a vivermos enclausurados na solidão a dois. Só assim não sufocaremos o outro com a nossa própria frustração em não podermos SER. 

Ana Virgínia Almeida Queiroz
Drágeas Psicológicas no facebook: https://www.facebook.com/drageaspsicologicas


 
Por Doris Lessing

"... nos triângulos desamorosos, quando a pessoa tem a sensacão de não pertencer ao mundo do parceiro, bate em retirada se tiver boa auto-estima! Logo, irá buscar o seu lugar afetivo longe dali, sem exigências, sem “indenizações”. Se, ao contrário, for ressentida e invejosa tentará destruir o parceiro, o grupo, os filhos… não importam as feridas, os golpes, ainda que na própria pele. Lessing demonstra, com lucidez, estas duas escolhas..."

Vale a leitura.

Google+ Twitter Facebook Delicious Digg Favorites More