24 de nov de 2014

"Causa Mortis"

 
 
Charlin Chaplin em uma carta para sua filha Geraldine redigia:
"Seu corpo nu só deve pertencer a quem se apaixonar por sua alma nua."

Cada vez mais desconectados da energia que move em direção à vida, busca-se por ela em toda parte, menos dentro de si mesmo.

A expectativa de que o outro e as coisas são detentores do poder de preenchimento das lacunas existenciais, aumenta proporcionalmente às ...
frustrações de toda natureza e, consequentemente, ao crescimento de transtornos emocionais, resultantes de carências infindáveis.

Sexo deixou de ser um presente que se abre de dentro para fora e a sobremesa passou a ser "devorada" antes do prato principal... assim, sem a percepção do sabor, do odor e da textura.

É "check in" e "check out". Passagem rápida por aeroCORPOS sem raízes profundas, ausentes de bases emocionais bem definidas.

Colecionar histórias sexuais passou a ser mais interessante do que reunir histórias de amor que, mesmo breves, podem ser ainda mais agregadoras do que as primeiras.
A superficialidade tende a ganhar de goleada das relações que favorecem crescimento pessoal.

 A impaciência e o medo no construir relações, impedem que as pessoas se permitam um contato alma à alma. A ânsia é pela resolução rápida do que pulsa no íntimo físico.
Quem não se posiciona como artigo de luxo (e isso, não tem relação com o "se fazer de difícil" para outra pessoa), não pode reclamar ao ser tratado como objeto descartável... como a embalagem de produtos comprados em liquidação do "lápis vermelho".

Ana Virgínia Almeida Queiroz
Drágeas Psicológicas no facebook: https://www.facebook.com/drageaspsicologicas

Google+ Twitter Facebook Delicious Digg Favorites More