13 de jun de 2014

Voltas que o mundo dá

Tristeza passa. Alegria volta.

 Dor de cotovelo cede espaço para o coração pulsar freneticamente de novo... e sempre!

 Grilos silenciam para que as borboletas façam revoadas no estômago.

 Medos são partes, não o todo.
Experiências são sempre muito bem-vindas.

 O Universo trabalha em silêncio e em tempo não registrado no relógio.

 A pressa é necessidade do ego.
A paz interna é artigo de luxo. Aprendamos a reconhecê-la, registrá-la e exercita-la mais vezes ao dia.

 Se em algum moment
o a casa cair, encaremos os estragos, choremos as perdas e sigamos limpando o terreno para nova construção ou busquemos outros espaços... que sejam internos, que sejam externos.

 A vida é feita de ciclos. Quem busca insistentemente a felicidade no capítulo final, está fadado a viver na escuridão até que o romance acabe.

Ana Virgínia Almeida Queiroz

Google+ Twitter Facebook Delicious Digg Favorites More