13 de jun de 2014

"Um casamento que acaba é como uma pessoa que morre."

"Um casamento que acaba é como uma pessoa que morre." Adeilson Salles

Chorar o luto é essencial para que novos espaços internos se tornem disponíveis para um NOVO AMOR!

  Esse, que erroneamente acreditamos, em momento primeiro, deva ser de...
stinado a um outro (a) parceiro (a).

  O NOVO AMOR é nosso, de dentro para dentro. É paz translucida, ocular, verbal, manifesta em respiração pausada e leve piscar dos olhos. É boca entreaberta, sugerindo sorriso em ligação direta com o coração.

  Lágrimas são necessárias, mas o lamento pelo o que poderia ter sido feito ou dito, não traz o outro de volta, nem na morte, nem no casamento.

  Quando as pessoas resolvem retomar a relação perdida frustram-se ou alegram-se diante da nova criatura renascida desde o fim da etapa primeira. O outro já não é o mesmo. Morreu e levou consigo uma parte nossa, também falecida.

  Muitos projetos são enterrados a sete palmos, modelos, padrões, expectativas, deixando a saudade eterna das possibilidades.

  Resta-nos optar pelo uso ininterrupto dos óculos escuros, na tentativa de esconder de nós mesmos a luz que, ofuscada pelas negras lentes, respeita nossa opção pela permanência na dor ou, intercalar seu uso com lentes cor de rosa, facilitadoras na manutenção de percepções amorosas a respeito da natureza, pessoas e circunstâncias.

  Um NOVO AMOR é sabedoria a serviço da alma que, livre, volta à Grande Morada e deleita-se no colo do Pai.

Gracias a la vida!
 
Ana Virgínia de Almeida Queiroz

Google+ Twitter Facebook Delicious Digg Favorites More