O muro da Depressão.

Não há dúvidas sobre a importância e influência dos pais na primeira infância de um indivíduo.

Mergulhando no inconsciente.

Muitas pessoas têm receio de fazer psicoterapia.

Um olhar para a depressão

A depressão é diferente do estado deprimido, o qual pode ser resultado de fatos corriqueiros

Tirando a poeira debaixo do tapete

Você sabe que algo não vai bem, mas não sabe como criar espaço para dizê-lo

As relações não curam todas as carências

“Nós escrevemos scripts para outras pessoas encenarem, mas esquecemos de lhes comunicar isso”.

Transtorno do Pânico

A síndrome do pânico enquadra-se no conjunto de transtornos de ansiedade

13 de jun de 2014

Feliz sexta-feira 13!

Boa sexta-feira 13 com:
Realize! Não se doe ao acaso!

E onde você estava?

...quando a vida te mostrou que o caminho percorrido já era conhecido e não te levaria a lugares novos?

  ... quando não aprendeu que relacionamentos são padronizados, repetitivos nas alegrias superficiais e nas dores descomunais, até que você mude sua forma de pensar, agir e sentir?

  ... quando pouco ou nada atento às necessidades da sua essência, aderiu aos apelos sociais, se conectou e se conten
tou com as limitações afetivas do outro só para fugir da solidão ou de si mesmo?

  ... quando se permitiu se relacionar sexualmente por migalhas afetivas e o telefonema do dia seguinte nunca aconteceu... nem o sorriso, nem o abraço, nem o beijo, nem o carinho, muito menos o respeito?

  ... quando o universo te enviou sinais sobre o percurso mais seguro e longo e você preferiu os atalhos?

  ... quando você deixou de se ouvir para preencher lacunas emocionais com compulsões de toda natureza?

  ... quando por preguiça de construir, preferiu contar com a sorte de encontrar alguém pronto e só encontrou alguém preguiçoso como você?

E você agora fala em azar?

  Não saber o que se deseja é não perceber quando se encontra.

"Eu quero a sorte de uma amor tranquilo..."

Ana Virgínia de Almeida Queiroz

Gratidão

Foi o que eu fiz!

  Calcei o tênis e meti o pé na pista!

  Alma caminhante, peito aberto para os benefícios do irmão Sol...

  E, de repente, o que parecia um discurso sensivelmente utópico e feminino, começa a cair da boca de um quase antigo e
querido conhecido. Velho em alma, experiente, pronto. 

  E ele veio me confirmar que a busca por dias e pessoas melhores em nossas vidas não é em vão quando ao trabalharmos nossa própria energia, objetivando o alcance da essência divina em nós mesmos, atraímos para perto, pessoas que vibram na mesma frequência.

  Disso eu já sabia! Só não tinha encontrado alguém do gênero masculino que falasse a mesma linguagem e que não houvesse uma distância considerável de idade entre mim e ele.

  Gratidão! Mais uma vez gratidão!

  O caminho escolhido tem destino certo!

  Quando somos leais com a imagem que surge diante do espelho todas as manhãs, o Universo dá um jeitinho de nos mostrar que não estamos errados e que a manutenção da crença em um mundo melhor é fundamental para prosseguir.

  Persistência e consciência de que o valor de um ser humano não se compara ao de um pedaço de carne exposto em um açougue para deleite das moscas, são fundamentais para aqueles que buscam AMOR!

  O mundo está salvo! 

  E a tribo está aumentando ou se reconhecendo... vai saber!

Gracias a la vida!

Ana Virgínia de Almeida Queiroz



Presente

São surpresas simples que chegam de fora ou brotam de dentro.

  Sonhos que iniciam a compreensão a respeito de lacunas dolorosas enquanto estamos em estado de vigília.

  Sorrisos que nascem primeiro no olhar do outro e encontram reciprocidade em nossos lábios.
Braços que abrigam nossas cabeças.

  Pistas que acolhem nossos pés e que por fim dançam nossas dores, angústias e medos.

  Xícaras que acolhem nossa ânsia por um dia mais rico em energia.

  É o amor que mal compreendido em
sua infinita sabedoria e beleza, não desiste e nos ronda à espera do despertar de nossa consciência.

  É o resignar-se com a solitude para que então o outro se encontre em nossa energia e deseje fazer morada ao nosso lado.

  Margarida bailando por causa da brisa que acaricia suas pétalas.

  Corpo com cheiro de sol.

  Música arrebentando o peito.

  Suspiro extravasando aquilo que não cabe dentro.

  Mão quente passeando em dorso frio.

  Cheiro de pele exalando paixão.

  Que nossos dias de festa sejam de dentro para fora e o amor comemorado com o que há de melhor dentro de cada um de nós...

  Bom dia a todos!

Ana Virgínia de Almeida Queiroz

Vida

Aprecio loucuras tresloucadas, translúcidas, transformadas, transgressoras... mas só as vivo comigo mesma ou na companhia dos que as podem suportar ou vivê-las em proporção igual... Sem barganha, sem abuso, mensurando e valorizando a lucidez que a acompanha.

Ana Virgínia de Almeida Queiroz





Paixão 3




PAIXÃO?

Sim! Sempre!

  Ser racional para assuntos do coração é como mulher tentando entender futebol para poder sentir a emoção do gol.

  Chega chegando semana!

  Paixão nacional, individual ou em par... o que importa?


Chega chegando com bolo, forró, amigos, café, cinema, letras e encontros inusitados.

  É a energia buscando novos membros para a tribo dos bem amados, observadores sob lentes de boa resolução interna.

  Chega chegando com sol, gargalhadas infantis, charme dos int
electuais e dos poetas da vida e das ciências.

  Vem que essa semana eu "tô facinha, facinha"!
Ô delícia existir!


  Bom dia!

  Ana Virgínia de Almeida Queiroz



A dor

Bom dia para quem não foge à luta!
Bom dia para quem ainda vai despertar!
Bom final de semana a todos!
Ana Virgínia

Bom senso

Bom dia com: well... não obstante o bom humor, Leminski que me perdoe!

Não. Eles não estão apenas nas listas dos serial killers.

  Todos transitamos por uma linha gradativa que pode se iniciar em "simples" atos de egoísmo, evoluindo para a perversidade velada, culminando em atos hediondos.
O que nos diferencia dos criminosos?

  O uso contínuo, elaborado, gratuito e deliberado dessa tendência.

  Vez ou outra faz parte da nossa condição humana. Comportamento cristalizado denun
cia a existência de patologia.

  Sim. Já em crianças pode-se perceber tendências e trabalhá-las. Se perceber em adultos, salve-se! Corra em sentido contrário ou aprenda a difícil arte de usar a própria perversidade para se defender, mas NUNCA para medir forças com um deles.

  Eles estão em toda parte! São empregados, cônjuges, galãs, moças sensuais, políticos, colegas de trabalho.

  Não quero deixar meu bom senso de lado aprendendo como se vive, com um psicopata. Obrigada!

Prefiro fazer terapia e ficar cada dia mais imune à sedução de toda natureza!

Bjs amados!

Ana Virgínia de Almeida Queiroz

Paixão 2

Sim!

  Eu estou apaixonada!

  Pelos olhos que mesmo inchados diante do espelho, traduzem a suavidade de uma alma que atingiu ares superiores durante uma noite bem dormida.

  Pelo corpo que mesmo magro, traduz um metabolismo em pleno funcioname
nto e em harmonia com meus sentimentos.

  Pelos cabelos que embora assumindo uma coloração tricolor, são macios e acarinhados por pequeninas mãos todas as manhãs.

  Pela mente sã para assuntos urgentes e vitais. Insana para a alegria e intensidade nos momentos com maior possibilidade para ser criança.

  Sim!

  Eu estou apaixonada!

  Por te ver, te aceitar, te amar e escolher não ser/ter você.

  Pela capacidade de reciclar-me na dor, na alegria e na morte.

  Pela pele que sente frio ou calor e reage a qualquer estímulo.

  Pelos dentes que refletem raiva ou felicidade e pela coerência que há nisso.
Pelo olhar que denuncia a essência.

  Sim!

  Eu estou apaixonada e posso ficar ainda mais.

  Nesse poço sem fundo que se chama EU, ainda há muito o que explorar antes de encontrar o outro.

  Resta saber ou sentir...

  O outro já se encontrou para então, encontrar-me?

  Profundo... mas nem de longe penso que possa ser diferente o caminho e que o outro possa ser outro que não esse! Com a mesma busca...

Bom dia aos apaixonados de plantão!

Ana Virgínia de Almeida Queiroz

Paixão

Sim. Sempre apaixonada... por mim, pela vida, pelas letras, por café e xícaras, por alguém... vai saber. Fica a critério das mentes criativas.

Delícia é sentir o mundo girar no instante em que meus lábios encontram abrigo nos teus.

  É o arrepio correndo pela espinha dorsal, sensibilizando pele, nuca e couro cabeludo.

  São os olhos que quase fechados, queimam em brasa e o olhar que te sorve.

  É peito ace
lerado.

  É o universo conspirando a favor.

  São corpos que por mais que relutem não conseguem se distrair um do outro.
É sangue correndo na veia.

  É boca salivando e, paradoxalmente, é engolir seco sempre que nos vemos.
A ansiedade pelo momento do reencontro que está para acontecer daqui a um segundo e a eternidade dentro da espera.

 O suspiro denunciador.

 É deixar-me de lado para estar ao lado teu.

 O olhar perdido para então encontrar-te.

 É estar leve, pleno, desejado, importante e amado.

  É derreter no abraço, pernas falhando, perdendo o chão, sangue ausente nas mãos.
Cabeça pendendo para o lado esquerdo em busca do ombro teu.

  Textura dos teus cabelos brincando em meu rosto.

  Olfato a engolir-te.

Que seja de AMOR todos os nossos dias!

  Bons dias de junho a todos!

Ana Virgínia de Almeida Queiroz

Voltas que o mundo dá

Tristeza passa. Alegria volta.

 Dor de cotovelo cede espaço para o coração pulsar freneticamente de novo... e sempre!

 Grilos silenciam para que as borboletas façam revoadas no estômago.

 Medos são partes, não o todo.
Experiências são sempre muito bem-vindas.

 O Universo trabalha em silêncio e em tempo não registrado no relógio.

 A pressa é necessidade do ego.
A paz interna é artigo de luxo. Aprendamos a reconhecê-la, registrá-la e exercita-la mais vezes ao dia.

 Se em algum moment
o a casa cair, encaremos os estragos, choremos as perdas e sigamos limpando o terreno para nova construção ou busquemos outros espaços... que sejam internos, que sejam externos.

 A vida é feita de ciclos. Quem busca insistentemente a felicidade no capítulo final, está fadado a viver na escuridão até que o romance acabe.

Ana Virgínia Almeida Queiroz

A maior distância é não se conhecer

Conduta basicamente moldada no cartesianismo, caminho traçado por linha reta, vida programada sem surpresas, controle nas relações, manipulações de ideias e sentimentos, conhecimento teórico, vivência pobre, ego mal administrado, experiênci...as superficiais, empirismo pouco valorizado, desqualificação do outro, religião sugerindo poder, negação da intuição, supervalorização da matéria, dos prazeres momentâneos e descartáveis, desconhecimento da própria essência, enlouquecimento sem cura, vazio jamais preenchido por recursos próprios, paixão que se confunde com amor, entrega sem reciprocidade, aceitação da violência velada ou não, alienação individual e coletiva... sobrevivência!

Boa noite drageanos!
Ana Virgínia Almeida Queiroz

Ser ou ter

Uma noite ensolarada a todos!

Quando enfim os ruídos internos silenciarem, abrandemos a vontade de fazer.

  Não nos curvemos à tirania dos acúmulos, das coisas que se findam às margens do vazio.

  Paremos e ouçamos o nada ecoando dentro do ...
nosso peito. 

  A paz que nasce depois disso é prazer intransferível, é amor em sentido único e que fala de coração para coração...

  Paixões arrebatam e podem matar. Provocam êxtase e ensurdecem a alma.

  Reconhecido seja o amor em sua forma indescritível, iluminadamente azul e de força suave, capaz de calar os cânticos angelicais. O amor nasce, encerra-se e renasce dentro de si mesmo... basta-se...

Ana Virgínia Almeida Queiroz

Reflexões sobre o amor

Reflexões sobre o amor traduzem justamente o que menos deve ser feito... pensar sobre o que deve ser sentido, elucubrar sobre o intangível, questionar o ilógico, deixar passar a vida.
Amor é construção, reconhecido internamente, recíproco ...
ou não, prêmio da inteireza, dádiva dos inconformados com migalhas afetivas.
Amor é expansão, é consciência e inconsciência em funcionamento harmônico, é ouvir e acolher o que diz a alma própria.

Ana Virgínia de Almeida Queiroz



Gratidão

Próxima parada: gratidão!

  E hoje eu só quero me recolher, sentir o colo do Universo sob minha cabeça, respirar a força do amor divino, abraçar meus filhos, sentir o cheiro de seus cabelos e permitir que o silêncio faça morada em meu peito ...e em minha psiquê.

  E hoje eu só quero reter a certeza do caminho escolhido, guiado pelas antenas da lucidez, iluminado pelos holofotes da compreensão, amaciado pela estima refletida em meu espelho.

  Não quero dançar, não quero a euforia do final de semana. Quero festa aromatizada em incenso, música branda, penumbra na mais doce companhia, enquanto os filhos "ronronam" em suas caminhas... a minha!

Ana Virgínia Almeida Queiroz

http://www.vagalume.com.br/louis-armstrong/what-a-wonderful-world-traducao.html

Passo a passo...



E a vida é feita passo a passo...
Às vezes rápidos, às vezes lentos...
Com a sutileza da sabedoria e com a destreza da consciência, a felicidade é destino certo, é porto seguro.
Bom dia!

Ana Virgínia Almeida Queiroz

Legalize o orgasmo!

Bom dia com: um VIVA ao gozo existencial!

Escreva sua história, invente, reedite, acumule experiências, abra mão, mude o caminho, faça curvas, acelere, desacelere, pule obstáculos, ame, ignore se isso for sinônimo de preservação vital, cul...tive amizades, brigue se necessário, reconheça erros, não se julgue, não se culpe, beije, faça amor, abrace, se deixe ser cuidado, dê colo, cante, ouça música, vá ao cinema, viva o teatro, dance, pense e aja, jogue-se, espiritualize-se, materialize-se, seja luz, seja sombra, valorize os sinais, acredite desconfiando, volte atrás, durma, trabalhe, beba água, caminhe no sol, brinque na chuva, construa castelos de areia, reforme ou destrua-os, ajude, peça ajuda, viaje, forme tribos, coma chocolate, leia, tome café... faça valer à pena o instante prazeroso em que fostes concebido!

Ana Virgínia de Almeida Queiroz

"Um casamento que acaba é como uma pessoa que morre."

"Um casamento que acaba é como uma pessoa que morre." Adeilson Salles

Chorar o luto é essencial para que novos espaços internos se tornem disponíveis para um NOVO AMOR!

  Esse, que erroneamente acreditamos, em momento primeiro, deva ser de...
stinado a um outro (a) parceiro (a).

  O NOVO AMOR é nosso, de dentro para dentro. É paz translucida, ocular, verbal, manifesta em respiração pausada e leve piscar dos olhos. É boca entreaberta, sugerindo sorriso em ligação direta com o coração.

  Lágrimas são necessárias, mas o lamento pelo o que poderia ter sido feito ou dito, não traz o outro de volta, nem na morte, nem no casamento.

  Quando as pessoas resolvem retomar a relação perdida frustram-se ou alegram-se diante da nova criatura renascida desde o fim da etapa primeira. O outro já não é o mesmo. Morreu e levou consigo uma parte nossa, também falecida.

  Muitos projetos são enterrados a sete palmos, modelos, padrões, expectativas, deixando a saudade eterna das possibilidades.

  Resta-nos optar pelo uso ininterrupto dos óculos escuros, na tentativa de esconder de nós mesmos a luz que, ofuscada pelas negras lentes, respeita nossa opção pela permanência na dor ou, intercalar seu uso com lentes cor de rosa, facilitadoras na manutenção de percepções amorosas a respeito da natureza, pessoas e circunstâncias.

  Um NOVO AMOR é sabedoria a serviço da alma que, livre, volta à Grande Morada e deleita-se no colo do Pai.

Gracias a la vida!
 
Ana Virgínia de Almeida Queiroz

18 Verdades cruéis sobre os relacionamentos modernos que você vai ter que encarar

Todos os dias ouço mulheres e homens solteiros se queixando da solidão e da dificuldade para encontrar alguém legal...
Inúmeras opções facilitadas pela tecnologia não estão, definitivamente, levando as pessoas à satisfação afetiva...
Ficou mais fácil fugir, não entrar em contado com sentimentos e descartar seres humanos.

Ana Virgínia de Almeida Queiroz

Drágeas Psicológicas: www.drageaspsicologicas.com

18 Verdades cruéis sobre os relacionamentos modernos que você vai ter que encarar

1. Quem que se importa menos tem todo o poder. Ninguém quer ser “a pessoa mais interessada” da relação.

2. Porque nós sempre queremos mostrar para a outra pessoa o quão blasé nós podemos ser, joguinhos psicológicos como ‘Intencionalmente Levar Horas Ou Dias Para Responder Uma Mensagem’ vão acontecer. Eles não são divertidos.

3. Uma pessoa sendo desapegada porque tem zero interesse em você parece exatamente igual a uma pessoa sendo desapegada porque acha você incrível e está fazendo um esforço consciente para fingir que não está nem aí. Boa sorte tentando descobrir quem é quem.

4. Ligações telefônicas são uma arte em decadência. Muito provavelmente, grande parte da comunicação do seu relacionamento vai acontecer por texto, que é a forma de interação mais desapegada e impessoal que existe. Já pode ir criando intimidade com as opções de emoticon.

5. Planos com antecedência estão mortos. As pessoas tem opções e atualizações de última hora da localização dos seus amigos (ou outros potenciais romances) graças as mensagens e as redes sociais. Se você não é a prioridade, você vai ouvir um “Talvez” ou “A gente se fala” como resposta para o seu convite para uma saída e o(s) fator(es) decisivo(s) serão se a pessoa recebeu ou não ofertas mais divertidas/interessantes que você.

6. Aquele alguém que te magoou não vai automaticamente ter um karma ruim. Pelo menos não em um futuro imediato. Eu sei que parece nada menos que justo, mas às vezes as pessoas enganam e traem e continuam suas vidas alegremente enquanto a pessoa que eles deixaram para trás está em frangalhos.

7. A única diferença entre as suas ações serem consideradas românticas ou assustadoras é o quão atraente a outra pessoa te acha. É isso, isso é tudo.

8. “Topa sair?” e “Vamos fazer alguma?” são frases vagas que provavelmente significam “vamos nos pegar” – e enquanto você provavelmente odeia receber uma dessas, elas são o jeito mais comum de convidar alguém pra passar algum tempo com você hoje em dia, e aparentemente elas chegaram pra ficar.

9. Algumas pessoas só querem te pegar e se você está procurando mais do que sexo, eles não vão te falar “Alow, acho que eu sou a pessoa errada pra você”. Pelo menos não antes de você liberar o "tindolelê". Enquanto a decência humana é o ideal, a honestidade não é obrigatória.

10. A mensagem que você mandou chegou. Se ele não respondeu, pode ter certeza que não foi por causa do mau funcionamento das operadoras de celular.

11. Tantas pessoas têm medo de compromisso e de estar sério com alguém que continuam um relacionamento não-definido, que acaba confundindo as coisas e só funciona até não funcionar mais. Eu já disse várias vezes, e vou dizer de novo – “nós somos só amigos” é abrir a porta para uma traição que tecnicamente não era traição porque, hey, vocês não estavam juntos juntos.

12. As mídias sociais criam novas tentações e oportunidades para trair. As mensagens por inbox e opções para um flerte sutil (ex. curtir a foto alheia) não servem como desculpa ou prova de uma traição, mas eles certamente aumentam as chances disso acontecer.

13. Mídias sociais também podem criar a ilusão de que você tem opções, o que leva as pessoas a verem o Facebook como um menu de pessoas atraentes ao invés de um meio de manter contato com o s amigos e a família.

14. Você provavelmente não vai ver muito da personalidade genuína e sem filtros de alguém até que vocês estejam em um relacionamento. Geralmente as pessoas tem medo de mostrar como realmente são e parecerem disponíveis demais, ansiosos de mais, nerds demais, bonzinhos demais, seguros demais, não engraçados o suficiente, não bonitos o suficiente, não alguma outra pessoa o suficiente para serem acolhidos.

15. Qualquer pessoa com quem você se envolver romanticamente, ou vocês vão ficar juntos para sempre, ou vão acabar terminando em algum momento. E ambos são conceitos igualmente assustadores.

16. Quando vocês estiverem namorando, ao invés de expressar como se sente diretamente para você, é mais provável que a pessoa publique isso no status do Facebook ou Instagram, uma foto tipo Tumblr, de um por-do-sol com uma frase ou trecho de música com as palavras de outra pessoa, e enquanto pode nem mencionar seu nome, é claramente para você.

17. Tem muitas pessoas que tem zero respeito pelo seu relacionamento e se eles quiserem a pessoa com quem você está, não terão escrúpulos na tentativa de ultrapassar os limites para conseguir conquistar a vítima. Girl Code e guy code são ilusões e código humano não é incorporado em todos.

18. Se você tomar um fora, provavelmente vai ser bem brutal. As pessoas podem cortar laços pelo telefone e evitar ter que ver as lágrimas rolando pelo seu rosto ou terminar tudo por mensagem e evitar ouvir a dor na sua voz e o seu nariz escorrendo. Envie um texto longo e voilá, o relacionamento acabou. O caminho mais fácil está longe de ser o mais atencioso.

Autor: Christopher Hudspeth

Fonte:
http://thoughtcatalog.com/christopher-hudspeth/2014/04/18-ugly-truths-about-modern-dating-that-you-have-to-deal-with/#A8tq2bPtKjlT46QM.01

Quantos gritos cabem no teu silêncio?



O quanto podemos ser definidos como um projeto sociocultural? Silenciados pela alienação externa e esperta de codinome sistema que nos afasta cada vez mais de nós mesmos?

  Quadradinhos "almofadados", encolhidos na caixinha confortavelmente "zoniada"?

  Trabalhos como as Drágeas Psicológicas e o MAPAternagem (www.mapaternagem.com) me fazem refletir constantemente sobre anseios que não cabem em fôrmas pré moldadas, em idei...
as herdadas e jamais refletidas. Verdades aceitas por preguiça de pensar ou por medo de mudar e não ser aceito.


  Saturada do que se encerra em conceitos construídos sobre bases repressoras e que manipulam por intermédio de mentes que imaginam dominar a verdade nas religiões e nas ciências.

  Anseio pela poesia em sua forma mais aparentemente antagônica, suave e rebelde, delirante e precisa, sentimentalmente racional, expansiva, intensa e apaixonada em sua "com ciência".

  Irritada com a intolerância a tudo que diverge dos comerciais de margarina, à beleza estereotipada, à intelectualização que, em uma de suas formas de expressão se molda ao egoísmo, favorecendo o surgimento de seres cada vez mais perversos!

Ana Virgínia de Almeida Queiroz

Você é psicóloga (terapeutizada)?

Você é psicóloga (terapeutizada)?

Juro que penso duas vezes antes de responder a pergunta porque SER PSICÓLOGA não me define, é uma parte de mim apenas. 

  Em outros tempos me divertia com a expressão da pessoa quando eu respondia que sim. Piada de toda natureza, desde a "você está me analisando agora?" a "sabia que todo psicólogo é louco?", acontecia. 

  O que os outros não compreendem é que esse...
tipo de reducionismo a respeito do profissional em comento, delata a mais pura falta de informação e um alto grau de preconceito e mecanismo de defesa por sugerir uma desqualificação do profissional (mas isso não é problema do psicólogo. É de quem pratica).
Psicólogo sofre, chora, ri, vai ao banheiro, vomita, fala besteira entre amigos (e podem ser besteiras bem elaboradas, o que os tornam extremamente engraçados), dorme, faz sexo, briga, casa, separa, têm filhos... quase tudo igual a todo mundo.


  Mas existe uma diferença entre eles e ALGUMAS OUTRAS PESSOAS (as não terapeutizadas ou trabalhadas emocionalmente de outras formas): eles usam a Psicologia de forma a favorecer seu crescimento pessoal, aprendendo com a própria história e contexto familiar/social a se tornarem pessoas mais satisfeitas consigo mesmas e menos problemáticas. Utilizam a ciência para si e depois para os outros. Aprendem a calar quando necessário e a dar limites quando solicitados. Já ralaram tanto com a própria sombra que não permitem que atravessem seu caminho sem que peçam licença, olhem no olho e sejam educados.

  Isso incomoda!

  Especialmente quando os limites são dados a pessoas que os conheceram antes de abraçarem o crescimento pessoal e de se comprometerem com eles mesmos. Eles saem dos joguinhos de manipulação com a maior facilidade e destreza, deixando as outras peças baratinadas, desnorteadas, se debatendo.
Psicólogo não é gente fácil!

  Para ter um perto de você como amigo, tem que ralar muito ou então já nasça transparente, honesto e jogando limpo. Se ele perceber uma ponta de manipulação alheia que possa lhe arrancar a paz, ele bate e bate com maestria e o melhor, sem deixar de respeitar ou AMAR (se for alguém próximo)!

  Respeitará o seu "time" para o despertamento sobre uma dinâmica mais saudável na relação com ele. Se esse tempo não chegar, ele lamentará por alguns segundos, mas seguirá sem medo de te deixar comendo poeira. Ele é muito comprometido com ele mesmo o que lhe causa inquietação profunda, o impedindo de parar para satisfazer necessidades de pessoas que não apreciam caminhar para frente.

  Se você tem um psicólogo como amigo ou parente, valorize. Eles têm histórias para revelar que quase todo mundo faz questão de esconder. Por isso se tornam ameaçadores, o que provoca uma vontade incontrolável de rotulá-los. Eles nem ligam para isso, até acham graça do teu devaneio e não perdem tempo com firulas. Necessitam expandir e formar tribos de pessoas que pensam e agem como eles.
São muito felizes assim!

Ana Virgínia de Almeida

Sobre a importância de amar alguém que ama alguma coisa

 
Sobre a importância de amar alguém que ama alguma coisa


 "Que todo relacionamento é uma troca todo mundo já sabe. Não vou ficar aqui gastando meu português para adornar esse clichê. O que me interessa, diante dessa premissa, é o objeto da t...roca. É o que o outro tem para oferecer. É o escambo que vai muito além das doações imprescindíveis para que qualquer relacionamento prospere. É o teor da permuta. É a parcela mais genuína de si que o outro pretende doar para mim.

E preciso esclarecer que quando digo isso, definitivamente não me refiro a carinho, fidelidade, lealdade ou respeito, que no meu romântico, poético, mas nada utópico entendimento, são itens que não deveriam figurar no rol das qualidades, como lamentavelmente tem acontecido no embalo engasgado dessa maldita tendência de mediocrização das relações humanas, mas apenas dos simples e básicos pré-requisitos “standard” para qualquer pessoa que pretenda se relacionar.

A verdade é que relacionamento é coisa de gente altruísta. Gente egoísta não tem vez. Relacionamento é para os mão-aberta. Para os ouvido-aberto. Para os cabeça-aberta. Para os coração-aberto… E é por isso que eu gosto de gente que tem algo para doar. Gente que ama a própria vida. Gente que tem coisa nova a ensinar. Gente que tem história boa para contar. Gente que já aprendeu a se doar.

E não me venha com mixaria. Não quero meia-boca, meio-corpo, meio-copo, meia-alma. Quero tudo o que você sabe. Todos os novos sentimentos loucos, não poucos, que você pode proporcionar. Todas as coisas boas, não tolas, que esse relacionamento pode dar.

Eu amo fluidez. Amo a sonoridade da correnteza boa que leva a sujeira do rio velho embora. Amo a liquidez da vida reciclável, que naturalmente leva as coisas que não mais nos servem para que outros possam usar. E é por isso que alguns relacionamentos vão, algumas coisas vão, algumas pessoas vão. Tem que deixar ir para o novo chegar. O importante, nessa reflexão, é não deixar que as relações sejam em vão. O mais legal de toda relação é conviver com alguém que tenha alguma paixão. Qualquer paixão. Útil ou não.

Gente que tem uma paixão sabe que amor exige dedicação. Ponto pra eles, que já aprenderam essa lição. Mas o mais interessante é o legado dessas pessoas na relação. Gente que ama alguma coisa sempre tem algo a ensinar. Pode ser sobre futebol americano, gramática, religião, cinema mudo, polo aquático, literatura russa, estudos da física em mandarim, cruzeiros transatlânticos, sudoku, viagens de baixo custo pelo leste europeu, zouk, música popular grega, motovelocidade, reality shows, fofocas sobre celebridades americanas, ou seja lá o que for. O essencial é que a pessoa tenha uma paixão.

Tenho pouquíssimas certezas na vida e uma delas é que o ser humano é movido a paixões. Por isso eu amo gente apaixonada. Aprendi que é muito melhor se relacionar com gente que conhece o combustível da própria vida. Gente que não vai sugar só o que é meu. Gente que tem uma herança para deixar. Gente que também tem algo a compartilhar. Gente que amando algo, já aprendeu como é amar."

Eduarda Costa

http://www.casalsemvergonha.com.br/2013/11/14/sobre-a-importancia-de-amar-alguem-que-ama-alguma-coisa/
Ver mais
 
 
 

As pessoas mais bonitas...

Uma hora a alma clama pela verdade que se manifesta na simplicidade de gestos que outrora passavam discretos, meio à tirania do TER.

 Visto-me de gargalhadas bem próximas ao meu ouvido que enchem meu corpo de luz, acordando as células da autenticidade.

 Cada pisada no chão é um levitar constante em busca da livre expressão. Olhar focado e não menos atento aos sinais oriundos da sabedoria interna.
Sim, sim para o amor incorporado artisticamente!

Não para tudo o que, erroneamente definido como cultura, possa lançar-me para dias sombrios, acumuladores de tudo aquilo que me afaste de SER.

Permito-me o olhar além do que se apresenta como aceitável, padronizado.
Cada pessoa traz dentro de si, tesouros que só enriquecem a vida daqueles que despidos do materialismo, enxergam com os olhos de Deus!

Uma maravilhosa sexta-feira a todos!

Ana Virgínia de Almeida Queiroz

Todo dia é dia!

Todo dia é dia, toda hora é hora!
Coloca uma rasteira e segue para ver o sol!
Cabelos livres e cara limpa. As ideias se materializam no corpo, no sorriso largo, no olhar focado.
O universo tentou me distribuir em uma caixinha e até hoje...
não sei onde Ele estava com a cabeça quando me presenteou com uma estrutura tão pequenina. Certamente em sua infinita sabedoria, testava-me o esmorecimento ou a inquietação!
Então revolto-me! Minha alma, quase nada cartesiana, necessita saber o que vai além dos 1,56 e 45 e para isso o grande Pai me deu mãos e mente para criar, voz e boca para falar e todo o resto para dançar.
A palavra de ordem é chacoalhar! Liberar as folhas secas, abrir espaço para novos ramos. Em breve os frutos, em breve as flores...
Mexer e constatar notas, letras e cores que têm para fluir durante o ato de VIVER!

Sigamos em frente que tem ainda mais no futuro!
http://www.youtube.com/watch?v=RHQZvGkwS_k

 Ana Virgínia de Almeida Queiroz

O momento...



O momento...
Esse que sugere o rompimento entre a realidade e o sonho.
Que não prevê o futuro, abandona o passado.
O instante exato de escolher estar vivo ou continuar amarrado às perspectivas.
O "estar" pleno, presente no corpo e no es...
paço que o envolve.
Onde o sentir supera a justificativa do desejar permanecer.
O lapso da razão ao abrir fendas nos medos, permitindo que a fantasia crie asas e voe ao encontro de outro s sonhos.
E então as letras têm a funçaõ de simplesmente permitir a expansão e ultrapassar os limites daquilo que jamais necessita de explicação...

Ana Virgínia de Almeida Queiroz

CRP: 01-7250

Google+ Twitter Facebook Delicious Digg Favorites More