6 de mar de 2014

E o que você fez?

Sim. Praticamente a última semana do ano. E o que você fez? Perguntaria a cantora Simone. 

Entre amigos muitos lamentos sobre 2013 ter sido um ano difícil. Entre os místicos a explicação gira em torno de uma transição planetária que interferiu radicalmente na vida de inúmeras pessoas. Quem sofre esse efeito agora, abranda seus impactos lá na frente. Será?

A grande questão é. Ninguém está imune à
transformação. A qualquer momento somos impelidos a prestar contas, a responder sobre nossas escolhas.

Qual o segredo para sofrer menos? Não faço a mínima ideia, para cada pessoa há um caminho. A única certeza que tenho é a de que mudar gera dor, momentânea ou duradoura, deixo a gosto do cliente.

A minha escolha para 2014? A mesma de 2013 e de todos os anos vividos até aqui. Observa-me! Sentir o toque íntimo, em essência, e permanecer centrada apesar das surpresas que possam atritar com as expectativas.

Viver! Só isso!

E se isso não for o bastante, tendo realmente a recorrer ao lamento.

Viver dá trabalho e por essa razão deve ser leve, doce, liberto de preconceitos, frases prontas, mas principalmente de medos exagerados e incompreendidos.

Viver exige que façamos escolhas, muitas delas. Quem não as faz ou não sente necessidade ou não tem coragem. Melhor que não haja vontade, porque o receio de seguir por caminhos que possibilitam a mudança é no mínimo um desperdício de vitalidade.

A vida exige revisão de conceitos, posicionamento e fé. Quem não tem fé, não se questiona, não se posiciona, não muda.

"Então é Natal! E o que você fez?" Cansou de ouvir essa música? Mas é o que há!

Boa semana a todos!
 
Ana Virgínia - 22 de dezembro de 2013

Google+ Twitter Facebook Delicious Digg Favorites More