6 de mar de 2014

Conecte-se!

Ocidentalmente falando, a desconexão de nós mesmos já faz parte do nosso processo de desenvolvimento enquanto "seres humanos" e também no que se refere à educação das emoções.
Faça! Tenha! Cumpra! Acumule! Sobreviva!
Siga os anos de sua vida buscando cada vez mais fora de você.
Tente desesperadamente encontrar o que nem você mesmo sabe, no cônjuge, nos filhos, no dinheiro, nas posses em geral....

Corra! O tempo não espera! Junte o máximo de objetos que seus braços não suportem sustentar!
Use as pessoas, mesmo sem perceber que está fazendo isso e o mais importante: se deixe usar também!
Descarte, seja descartável e pregue que a vida é isso mesmo.
Abasteça seus armários com marcas e alimentos dispensáveis.
Nunca valorize sua dor. Passe batido por ela. Faça um curativo razoável sem limpar a ferida. Cubra-a!
Não sinta! Você vai sofrer se fizer isso!
Nunca esteja atento aos sinais corporais. Ignore seu sistema digestivo. Ele é sábio e te avisará antecipadamente sobre riscos e lugares seguros.
Não valorize seus sonhos, nenhum! Não os interprete, não os guarde, não os confira.
Após toda essa trajetória que inicialmente somos obrigados a aceitar, continuar nela sem o despertar da consciência é garantia de sofrimento e de abandono de si mesmo.
"A vida necessita de pausas!" (Drummond).
Sinta, respire, mensure, vá até onde pode ir, conheça os limites da alma e do corpo. Seja seu melhor amigo e nunca se sentirá traído por pessoas ou circunstâncias!

Bom dia!

Ana Virgínia



Google+ Twitter Facebook Delicious Digg Favorites More