16 de out de 2013

Psicólogo não nasce pronto.



 
Aos treze anos eu já sabia a profissão que queria. Aos quinze já estava, a pedido meu, em tratamento. Esse processo iniciado ainda na adolescência parou (e não arriscaria dizer que para sempre) em setembro do ano passado, faltando um mês para os meus 38 anos.

Além do acompanhamento com psicólogos, estudei muito, li demais e escrevi mais ainda. Se hoje sou uma psicól...
oga de sucesso, carismática e sensível (definições de vocês e não minhas) só tenho algo a revelar: isso é fruto de muito trabalho interno, muita vontade de crescer e ser melhor a cada dia.
Essa versão que vocês "conhecem" não é original. Já fui remexida, revirada, acolhida, destroçada e remendada - nada mais natural para quem quer compreender e ter a coragem de conduzir outras pessoas por esse mesmo caminho. Se estou inteira e melhor é porque confiei na competência de profissionais preparados do ponto de vista técnico e emocional. Minha cabeça vale ouro, sempre soube disso e por esta razão não poderia entregá-la a alguém que a deixasse do mesmo jeito ou pior. A condução para o abismo de mim mesma tinha que ser feita por alguém que me transmitisse credibilidade e que tivesse se permitido expandir a própria consciência para então me dar a mão e me auxiliar na expansão também da minha.
Não tenham medo de psicólogos, mas saibam escolher. Ele irá com você somente até onde ele foi e isso significa dizer que: das profundezas da alma à superficialidade do ego, transitam inúmeros profissionais - você escolherá aquele que melhor se encaixar às suas necessidades de crescimento.

Feliz dia aos pacientes que nos "obrigam" à capacitação para melhor acolher.

Ana Virgínia Almeida Queiroz
CRP: 01-7250

Google+ Twitter Facebook Delicious Digg Favorites More