16 de out de 2013

A espiral da vida


Quando finalmente compreendemos que a vida assemelha-se à uma espiral, entendemos a razão pela qual, sentimentos deixados em algum ponto da estrada retornam, nos forçando um olhar sobre fatos e pessoas que os auxiliam a deixar as profundezas do inconsciente, atingindo novamente a superfície.
Descemos a espiral, fazemos resgates, ressignificamos e subimos novamente, ou seja, se o que nos atormenta é recorrente, talvez a descida não esteja sendo produtiva. Um mergulho consciente em cada degrau descendente é certeza de que, mais adiante, a conquista de degraus para cima ocorrerá...
 
 Ana Virgínia Almeida Queiroz
 

Google+ Twitter Facebook Delicious Digg Favorites More