20 de ago de 2013

Silenciar

E de repente... pausa no diálogo e o som do grilo ecoa no ambiente. O sonoro e metafórico "cri, cri, cri" deixará alguém eufórico.
 
Ansioso por calar ruído delatador da impotência que julga possuir, faz com que, angustiado e impetuoso, ofereça respostas saciadoras de necessidades sabe-se lá se próprias ou alheias. Perde-se! Autoriza o controle! Entrega o ouro!

 Deixe o grilo cantar! Se alguém tiver que se arrebentar, que sejam as cordas vocais do imaginário e simbólico bichinho!
 
Ana Virgínia Almeida Queiroz
Psicóloga / CRP: 01-7250

Google+ Twitter Facebook Delicious Digg Favorites More