5 de ago de 2013

Dance!

Eu poderia deixar o tempo correr, enterrando a dor de forma irreversível, mas eu não suportaria!
Eu poderia sorrir descontroladamente, camuflando o ódio, o ciúme, a inveja, mas eu não quero!
Eu poderia fingir a paz que não tenho só para parecer bem resolvida, mas eu não sei fazer isso!
Eu poderia mentir a vaidade, negar a luxúria, escamotear o orgulho, mas acho isso injusto comigo mesma!
Então só me resta a autenticidade, a convicção das minhas mazelas, o chafurdar no melhor e no pior da minha essência e libertar-me do que me acorrenta, ligando-me a qualquer coisa como o "coisa alguma"!

Ana Virgínia Almeida Queiroz 

Google+ Twitter Facebook Delicious Digg Favorites More