15 de jul de 2013

Uma reflexão para o dia do HOMEM

Dia do HOMEM?

Eu acho interessante... 
homens que têm uma estranha mania de acreditar que não são percebidos em suas fragilidades, seus medos e suas malandragens.
São divertidos quanto às suas estratégias sedutoras, à ingenuidade ao subestimar a inteligência feminina e a capacidade de identificar quando articulam jogos emocionais, tentando desestabilizar a mulher com sumiços provocadores de ansiedade. 
Isso é engraçado e pode ser um "tiro no pé"! A mulher pode vir a se sentir bem maior quando agem assim.
É hilário quando se tornam incoerentes, ora se mostrando de um jeito, ora de outro, quando se "embananam" porque na verdade não sabem como agir diante do mistério feminino ou da retidão e da fidelidade que a mulher conseguiu desenvolver com os próprios princípios.
É curioso vislumbrar como parte deles não consegue reconhecer que as mulheres são diferentes no que concerne às necessidades afetivas e às motivações para mantê-los por perto.

Eu aprecio...
Homens inteligentes, que escrevem bem, articulam bem as palavras ao conversar, olham nos olhos e sorriem facilmente. Que reconhecem um lapso e pedem desculpas. Homens sensíveis, elegantes e íntegros.

Eu admiro...
o que acorda cedo para cuidar da saúde, levanta a tampa do vaso sanitário, lava as cuecas no chuveiro e não deixa rastros de bagunça pela casa para que a mulher vá arrumar. 

Eu amo...
aquele que brinca com os filhos, dá banho, coloca para dormir, sabe educar e quando rola no chão com os pequenos faz com que fique difícil identificar quem é o adulto, quem é a criança.

Dia do HOMEM? Então tá...

Um feliz dia para aqueles que, apesar dos inúmeros defeitos que possuem (e quem não os têm?), valorizam e respeitam as mulheres de suas vidas (mães, filhas, irmãs, esposas e amigas). 

Àqueles que se esforçam em decifrar as próprias limitações e seguir eticamente em busca da paz e não da saciação imediata do que pulsa em sua genitália.

O esforço em transmutar as próprias limitações não é tarefa fácil e é perfeitamente aplicável aos universos masculino e feminino. Feliz da MULHER que tem ao seu lado um HOMEM que já despertou, que se esforça em abrir mão do machismo dominador e a enxerga como alguém possível de acender nele o encontro consigo mesmo, de forma a integrar 'animus' e 'anima' em sua essência. 

Feliz da MULHER que já percebeu que, enquanto mãe de HOMEM, precisa transformar o machismo que JAZ dentro de si.

Ana Virgínia Almeida Queiroz
Psicóloga Clínica
CRP: 01-7250

Google+ Twitter Facebook Delicious Digg Favorites More