15 de abr de 2013

Desapego

... tornei-me incapaz quanto à crença sobre a existência de experiências finitas ou engessadas, pois mesmo as passadas voltam, levando-me a pensar que não as quitei em tempo oportuno. O mundo é um círculo, a vida ciclos. Desenvolver o desapego é uma das únicas possibilidades de renovar vivências, amores e desvendar cantos não explorados no meu SER mais inconsciente. Não quero reter pessoas, ideias ou feitos. Finalmente percebo que tudo o que não representa meu EU, corresponde a uma parcela do que de mais importante me conduz a mim mesma e age conforme a minha necessidade e ao meu amadurecimento naquele momento. Pessoas chegam e vão, deixando marcas tão profundas, mas não suficientes para considerá-las responsáveis pelo meu sucesso ou derrota, onde, nada mais sobrará para continuar a caminhada. Quero o fracasso, quero as vitórias e ainda assim, serei capaz de reconhecer a função de cada um que cruzar minha estrada. Muitos têm ficado, outros cumprem com suas missões junto a mim e partem. Gratidão é uma constante em minha existência, e o amor... ahhhhhhhh o amor! Esse é para os que efetivamente constroem templos dentro de mim...

 
Ana Virgínia Almeida Queiroz
Psicóloga Clínica
CRP: 01-750

 

Google+ Twitter Facebook Delicious Digg Favorites More