9 de fev de 2012

O presente é um presente!

Colocando o Ian para dormir, me transportei para um futuro nem tão distante assim. O imaginei fora daquela mini cama, desprendido de seus companheiros Dona Camisola Azul e Senhor Coelho Mimi. Só mais algum tempo, minha presença já não será mais necessária na hora de dormir. E aquele pacotinho, gostoso de apertar, cheirar e beijar estará se transformando,
paulatinamente, em um homem. Tudo isso passando pela minha cabeça na velocidade da luz...

- Filho?
- Hum!
- Não cresce, fica pequenininho pra sempre.
- Não posso! Tenho que "clescer" - ficou de pé na cama e esticou os braços para o alto...
- Deita aqui. Deixa eu te agarrar um pouquinho. Mais alguns anos e você vai estar barbado, cheio de pêlos no corpo e nem vai deixar eu te apertar. Vai virar um homem grande, estudar, trabalhar, namorar e deixará de ser meu pequenino.
- Mãe, eu não vou ficar cabeludo tá! Mas ainda vou "namolar" a Soso. Nesse dia eu não vou ter mais mãe. Vou ter muitas irmãs...
- kkkkkkkkkkkkkkkk. Como assim? Eu vou morrer? Muitas irmãs ou muitas namoradas?
- Não. Quando a gente "clesce" não "plecisa" de mãe. Eu vou limpar meu bumbum so-zi-nho...
- Sim. Nem eu vou querer limpar seu bumbum cabeludo. Mas continuarei sendo sua mãe, conversando com você e te dando muito amor e carinho.
- Não "plecisa", minha "namolada" Sofia vai fazer tudo isso e você vai poder descansar. E eu não vou ter cabelo na "baliga", nem na perna, nem no "suvaco" não. Só vou ter aqui oh! Na "soblancelha".
- Tá bom Ian, tá bom! Deixa eu te cheirar bem muito agora, antes que seu corpo acompanhe a velocidade da sua cabeça.

AGARREI MUUUUUUUUUUUUUUUUUUUITO! Quase que não deixo o menino dormir, tamanha era minha necessidade de eternizar aquele momento.

Te amo filho!
Que seu anjo da guarde te acompanhe sempre...


Ana Virgínia - mãe do Ian


Google+ Twitter Facebook Delicious Digg Favorites More